Masterclass & Oficinas

 


Masterclass


 

// 01 – NARRATIVAS IMERSIVAS EM REALIDADE VIRTUAL: NOVOS FUTUROS POSSÍVEIS E PLURAIS PARA O AUDIOVISUAL

TERÇA 15/12 – 19h

As Narrativas Imersivas nos apresentam a novos futuros possíveis e plurais no audiovisual, ao romper as fronteiras tradicionais entre audiência e conteúdo permitindo outro tipo de fruição culminando em empatia e engajamento. Indo na contramão do isolamento do enquadramento das telas, a Realidade Virtual é uma das formas mais conhecidas de se utilizar dessas narrativas. Para além dos games, quais são as possibilidades desse novo formato? Como se dá o acesso à essas tecnologias ? A partir desses questionamentos, iremos conhecer os conceitos básicos para desenvolvimento de uma Narrativa Imersiva, produção em Audiovisual 360º e Realidade Virtual, presentes nas produções independentes de favelas do Rio de Janeiro. Acreditando que a Realidade Virtual pode ser uma ferramenta para potencializar e visibilizar as trajetórias das populações negras e periféricas, e com as narrativas imersivas ter um novo meio de contestar o regime de representação do povo e preto e favelado, torna-se cada vez mais necessário difundir esse conhecimento e  o acesso às tecnologias e produções entre os nossos.”

 

Sobre George Ferreira:

George Ferreira, Mestrando em Comunicação (UFF), pesquisa Narrativas Imersivas e VR. Graduado em Comunicação Social (UniCarioca). Docência e Produções Realidade Virtual na Rede GatoMÍDIA. Editor e Montador de “Minha Vida é Aqui” e “Descolonize o Olhar” – selecionado pela ONU. Diretor, Roteirista e Diretor de Fotografia do curta-metragem Ma Iá. Formação complementar em Audiovisual pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro, Centro Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul, Cinema Nosso e SESC Rio.

 


 

// 02 –  FICAR RICA NA PUBLICIDADE, PRA DEPOIS VIVER DA MINHA ARTE

QUINTA 17/12 – 19h

Quando a gente fala de publicidade, a primeira coisa que pensamos são em grandes orçamentos e cachês altíssimos, não é? Eu pelo menos achava, mas não é bem assim. Vou tentar aqui compartilhar o que aprendi e vivi nesses 2 anos como diretora de publicidade, e também os meus 6 anos como montadora dentro de agência de propaganda. Vou mostrar o passo a passo de uma campanha. Onde começa a elaboração, como se comporta o mercado, como se portar nele ou sobreviver a ele, porque não é nada fácil, mas também não é impossível. Podem vir com suas dúvidas, aflições e reclamações que tô aqui pra ouvir e também fazer as minhas.

 

Sobre Jéssica Queiroz:

Jéssica Queiroz é formada em técnico em edição audiovisual pelo Instituto Criar, e direção cinematográfica na Academia Internacional de Cinema, trabalha há 7 anos com edição de publicidade, hoje diretora de cena na Paranoid br. Dirigiu o documentário “Vidas de Carolina” (2014) história de Carolina Maria de Jesus, escritora negra, favelada, dos anos 50 e a ficção “Número e Série” (2015) e Peripatético (2017) que levou prêmio de melhor roteiro e prêmio especial do júri no Festival de Brasília entre outros prêmios, foi Shadow de direção na quarta temporada de 3% da Netflix, está em produção da sua primeira série de ficção como diretora, Fim de Comédia lançamento previsto pro segundo semestre de 2021 no CineBrasil TV.  

 

 


Oficinas


 

// 01 – COMO O SOM SE ARTICULA NO CINEMA – ministrada por Evelyn Santos

SÁBADO 12/12 – das 09h às 12h

Descrição:

A oficina pretende abordar e refletir o som como protagonista de uma obra audiovisual, e o seu poder artístico e criativo. A partir de alguns trechos de filmes vamos analisar como o som é importante em uma obra audiovisual e como ele pode se articular em um filme de diversas maneiras. Vamos assistir cenas onde o som vai guiar os personagens, criando sensações, sentimentos e identificação. Apostando em uma narrativa,  que o som não tem só aspectos técnicos mas também criativos, além do plano das imagens mas pensando o extra campo sonoro. Vamos entender também como funciona a divisão da equipe de som e suas funções no Set de filmagem e na pós produção. Percorrendo as seguintes etapas onde o som se articula em um filme: desenho de som, som direto, edição de som, ambientes, efeitos, foley e mixagem.

 

Sobre Evelyn Santos:

É formada em Produção de Áudio e Vídeo, Operação de Som e Direção Cinematográfica. Trabalha há 4 anos com Captação de Som direto, Microfonista e Assistente em diversas produções que já rodaram em vários festivais. Dirigiu seu primeiro curta-metragem ”Dádiva”.

 


 

// 02 – UMA CONVERSA INACABADA COM IMAGENS, ministrada por Fabio Rodrigues Filho

SÁBADO 12/12 – das 14h às 17h

Descrição:

Propomos neste encontro abordar a crítica como lugar de conversa com os filmes, com as imagens e as pessoas – ou, se preferirmos: entre cinema e as coisas do mundo –, reconhecendo as partes em diálogo como agentes ativos. Assim, nosso interesse é pensar coletivamente a tarefa crítica de elaboração de um certo olhar para as obras e também de proposição de relações entre as imagens e seu fora de quadro – tarefa que está, portanto, para além da emissão de juízos. Em primeiro momento, tomaremos a “crítica” enquanto palavra geradora, investigando seus sentidos, sua pragmática, seus usos e os potenciais da prática. Propomos uma visionagem dessa palavra, sem nos apegarmos a um conceito fechado, mas admirando suas (im)possibilidades e tentando germinar outros possíveis para o fazer crítico. A partir de alguns breves exercícios de aproximação com filmes, exercitaremos textualmente modos de relação com imagens. Durante a oficina, nos interrogaremos em que medida um texto crítico pode ser uma conversa inacabada (perspectivada, parcial, posicionada, etc.), aberta ao diálogo, à dúvida, ao movimento e à imaginação. 

 

Sobre Fabio Rodrigues Filho

Atua na crítica, curadoria, pesquisa e realização em cinema. Mestrando em comunicação na UFMG, graduou-se na mesma área na UFRB. Membro dos grupos Áfricas nas Artes (Cahl/UFRB) e Poéticas da Experiência (UFMG). Cineclubista, participou do Cineclube Mário Gusmão, Cine Tela Preta e do Cinema em Vizinhança. Compôs a comissão de seleção de festivais, mostras e laboratórios, a exemplo do FestCurtasBh (2019/2020), Diáspora Lab (2018), FIANB (Festival Internacional do Audiovisual Negro do Brasil, 2020), entre outros. Atualmente faz parte da equipe de curadoria do IX CachoeiraDoc, festival junto ao qual vem contribuindo ao longo dos últimos anos. Contribui com textos para revistas, catálogos, sites e para o blog pessoal Tocar o Cinema.:

!! A Oficina “Uma Conversa Inacabada com Imagens” é apoiada pela ASSOCIAÇÃO DE VÍDEO E CINEMA DO PARANÁ (AVEC-PR), sendo destinada apenas para PESSOAS RESIDENTES NO PARANÁ. Nesta Oficina, haverá também o estabelecimento de um CONCURSO DE CRÍTICAS, onde participantes poderão escrever textos críticos sobre filmes na programação do Festival e concorrer às seguintes premiações:

1º lugar – R$300   –     2º  lugar –  R$200

 


 

// 03 – PRODUÇÃO AUDIOVISUAL PARA MÍDIAS DIGITAIS, ministrada por Caio Franco

DOMINGO 13/12 – das 14h às 17h

Descrição:

Já faz algum tempo que a produção audiovisual não mais se restringe à experiência da grande tela e sala escura. Esta Oficina busca pensar estratégias para o engajamento de público nas mídias contemporâneas em seus variados formatos e até que ponto a “democratização” da internet tem contemplado o público negro, destacando a importância e os desafios de influencers negres ocupando o espaço das redes sociais, como uma relevante ferramenta de comunicação e identificação, multiplicando experiências em assuntos como auto-estima, educação, política e moda no contexto racial.

 

Sobre Caio Franco:

Caio Franco é cineasta e fotógrafo. Após se formar em comunicação pela PUC-Rio, trabalhou em produtoras como assistente de produção e assistente de pesquisa até 2015, quando começou a trabalhar no canal Jout Jout Prazer, no youtube. Seu primeiro filme, Antes de Ontem, rodou por diversos festivais no Brasil em 2019.