PANORAMA: ALINE MOTTA

PANORAMA: ALINE MOTTA

Postado Em 28 de novembro de 2020

 

/CONHEÇA A PROGRAMAÇÃO

Panorama é um espaço de visionamento da produção de artistes negres contemporâneos que através do audiovisual elaboram percepções outras e novas imagens acerca de ser uma pessoa negra no mundo. Focalizando um nome dentre cineastas que emergem com os recursos da produção digital, este programa apresenta ao público um conjunto de obras realizadas por uma perspectiva autoral.

Neste ano, no III Festival Griot, o programa destaca Aline Motta, artista residente de São Paulo que traz a partir da produção de imagem, videoarte, instalação e outras práticas artísticas, o elemento fabulatório a partir da memória. Tendo como base a sua relação familiar atrelada à Bisavó, Avó e Mãe, a artista corporifica a simbologia colonial  através de suas investigações.

A trilogia “Se o mar tivesse Varandas” (2017), “Ponte sobre abismos” (2017) e “(Outros) Fundamentos” (2017-2019) evocam as construções de identidades que cruzam-se entre o Continente africano e sua diáspora. Indagando sobre o que é movido  a partir do Atlântico e o que permanece para além dele, as obras relacionam-se ao questionar sobre delineamentos de identidades negras no Brasil, como o lugar que é, marcado pela herança colonial que encontra-se no que somos e no que deixamos de ser. Já sua produção mais recente, “Filha natural”(2019), examina o registro de sua tataravó, versando sobre relatos familiares para construir o histórico negado.

Desta forma, ao olhar para seu núcleo familiar, indagando sobre seu passado e confluências no presente, Aline Motta, fabula não só sobre sua família como a própria história do Brasil.

Este e outros programas você assiste no III Festival Griot, de 11 a 20 de dezembro.

Gostou desse Conteúdo?

Então compartilhe agora mesmo!

Facebook Whatsapp Twitter
Hey,
o que você achou desse conteúdo? Conte nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *